A FILOSOFIA DA BRUXARIA

A Arte é uma religião de amor e alegria. Ela não é sombria como o cristianismo com suas ideias de "pecado original", com a salvação e a felicidade possíveis apenas na vida após a morte. A música da Bruxaria é alegre e cheia de vida, contrastando novamente com os hinos de lamentação que vimos por ai. Por que isso?  Por que os wiccanos são mais contentes, mais entusiasmados e felizes? Muito disso tem a ver com sua empatia com a natureza. Os primeiros povos viviam de mãos dadas com a natureza mediante a necessidade. Eles eram uma parte da natureza, não separados dela. Um animal era um irmão ou uma irmã, assim como as árvores.

Os homens e mulheres cuidavam dos campos e em troca recebiam alimento para sua mesa. É claro que eles  matavam animais para alimentar-se. Mas muitos animais matam outros animais para se alimentar. Em outras palavras, os homens e as mulheres eram parte da ordem natural das coisas, não separados dela. Não "acima" dela.

Os homens e mulheres modernos perderam muito desta proximidade, se não toda ela. A civilização os cortou fora. Mas não tanto para  as Bruxas! Mesmo hoje, nesse mundo mecanizado, super-sofisticado que este ramo da natureza (homens e mulheres) criou, a Wicca mantém suas ligações com a Mãe Natureza. Em livros como o de Brett Bolton, The Secret Power of Plant, aprendemos sobre a "incrível", "extraordinária" reação saudável das plantas à ternura; sobre como elas sentem e reagem ao que é bom e ao que é mau; como elas expressam amor, medo, ódio algo que pode nascer nas mentes dos vegetarianos quando se tornam extremamente críticos em relação aos comedores de carne, talvez?). Esta não é um descoberta nova. As bruxas sempre souberam disso. Sempre falaram ternamente com as plantas. Não é incomum ver as bruxas ao andar por um bosque, parar e abraçar uma árvore. Não é peculiar ver uma Bruxa tirar os sapatos e andar descalça em um campo arado. Isto é parte de se manter em contato com a natureza; de não perder nossa herança.



Se você alguma vez sentir completamente drenado, se estiver zangado ou tenso, vá para fora e sente-se junto a uma árvore. Escolha uma árvore boa, sólida e sente-se no chao com suas costas eretas, de encontro com o tronco. Feche seus olhos e relaxe. Você sentirá uma mudança gradual em você. Sua tensão, sua raiva e seu cansaço vão desaparecer. Você vai sentir um calor crescente; um sentimento de amor e conforto. Vem da árvore. Aceite e fique satisfeito. Sente-se lá até sentir-se inteiro novamente.

Antes de ir embora, fique de pé com seus  braços ao redor da árvore e agradeça.





Use seu tempo para parar e apreciar tudo a seu redor. Sinta o cheiro da terra, das árvores, das folhas. Absorva suas energias e envie a eles  as suas. Um dos fatores que contribuem para nosso isolamento do resto da natureza é o material isolante de nossos sapatos. Quando você puder, fique com os pés descalços. Faça contato com a terra. Simta-a; absorva-a. Mostre seu respeito e amor pela natureza e viva com a natureza.

Da mesma forma, viva com outras pessoas. Existem muitas que você vai encontrar, no curso de sua vida, que podem se beneficiar do encontro com você. Sempre esteja pronto a ajudar outra pessoa de qualquer forma que você puder. Não ignore ninguém, ou olhe para outro lado quando sabe que eles precisam de sua ajuda. Se você puder ajudar, ajude com boa vontade.




Ao mesmo tempo não tente assumir o controle sobre a vida de outra pessoa. Nós todos temos que viver nossas próprias vidas. Mas se você for capaz de ajudar, aconselhar, apontar o caminho, então faça isso. Serã então uma escolha da pessoa decidir como continuar daí.

A doutrina máxima da Bruxaria, o Credo Wiccano é:  "Faça o que desejar, sem a ninguém prejudicar."

Faça o que você quiser... mas não faça nada que possa prejudicar outra pessoa. É simples assim.

Em abril de 1974, O Conselho de Bruxos Americanos adotou um grupo de princípios da crença wiccana. Pessoalmente, comprometo-me com estes princípios e os listo aqui. Leia-os cuidadosamente.

1. Praticamos ritos que nos sintonizam com os ritmos naturais das forças vitais sinalizados pelas fases da Lua e pelas mudanças e ápices das estações.

2. Reconhecemos que nossa inteligência nos traz uma responsabilidade única em relação a nosso ambiente. Buscamos viver em harmonia com a natureza, em equilíbrio ecológico, oferecendo um compromisso com a vida e a  consciência dentro de um conceito evolucionário.

3. Reconhecemos uma profundidade do poder muito maior do que é aparente para as pessoas comuns. Porque é bem maior que o ordinário, ela é algumas vezes chamada de "sobrenatural", mas a vemos como parte potencialmente natural a todos.

4. Compreendemos que o Poder Criativo do Universo manifesta-se pela polaridade - como masculino e feminino - e que este mesm Poder Criativo vive em todas as pessoas, e funciona mediante a interação entre o masculino e o feminino. Não valorizamos  um acima do outro, sabendo que um é o suporte do outro. Valorizamos o sexo como prazer, como um símbolo e corporificação da vida, e uma das fontes de energia usada na prática mágica e culto religioso.

5. Reconhecemos mundos exteriores e interiores, ou psicológicos, mundos algumas vezes conhecidos como mundo espiritual, o Inconsciente  Coletivo, Planos Interiores, etc.- vemos na interação dessas duas dimensões as bases para os fenômenos paranormais e exercícios mágicos. Não negligenciamos nenhuma dimensão em função da outra, vendo ambas como necessárias a nossa plenitude.

6. Não reconhecemos nenhuma hierarquia autoritária, mas honramos os que ensinam, respeitamos os que partilham seu maior conhecimento e sabedoria, e reconhecemos os que corajosamente dão de si mesmos em liderança.

7. Vemos religião, magia e sabedoria da vida como unidas na forma pela qual uma pessoa vê o mundo e nele vive - uma visão do mundo e filosofia de vida que identificamos  como Bruxaria - O Caminho Wiccano.

8. Chamar a si mesmo de Bruxo ou Bruxa não faz de ninguém um Bruxo ou uma Bruxa - nem o faz a hereditariedade pura e simples, nem o colecionar de títulos, graus ou iniciações. Uma bruxa busca controlar as forças dentro de si mesma que tornam a vida possível de forma que se viva sabiamente e sem prejudicar os outros em harmonia com a natureza.

9. Acreditamos na afirmação e plenitude da vida em uma continuação da evolução e desenvolvimento da consciência, dando significado ao universo que conhecemos e o nosso papel dentro dele.

10. Nossa única animosidade em relação ao Cristianismo, ou em relação a qualquer outra religião ou filosofia de vida, é quando suas instituições proclamam ser "o único caminho" e buscam negar a liberdade de outros e suprimir outros caminhos de crença e prática religiosa.

11. Como bruxo, não somos ameaçados por debates sobre a história da Arte, as origens dos vários termos, a legitimidade de vários aspectos de diferentes tradições. Nos preocupamos com nosso presente e futuro.

12. Não aceitamos o conceito de mal absoluto, nem adoramos a entidade conhecida como "satanás" ou "demônio" como definido pelo Cristanismo. Não buscamos poder pelo sofrimento dos outros, nem aceitamos que o benefício pessoal possa vir apenas por negá-lo a outra pessoa.

13. Acreditamos que devemos buscar dentro da Natureza o que trará contribuição à nossa saúde e bem-estar.

(Texto extraído de O Livro Completo de Bruxaria do Buckland, Raymond Buckland, 2003, editora Gaia)



 Leia também "Algumas Palavras Sobre Nós Pagãos".

Voltar para a Página Inicial: